sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Latrocínio desvendado em Barra Mansa.


No dia 24 de outubro foi encontrado o corpo da adolescente Maria Júlia Fonseca de Oliveira, de 16 (dezesseis) anos. A adolescente foi encontrada morta na casa de seus pais, na rua 12, no bairro Piteiras. Na ocasião, os policiais militares detiveram um suspeito, de 22 anos, que negou ter sido o autor do crime. O suspeito foi localizado na casa de um parente, no bairro Nova Primavera, após ser apontado numa rede social como o assassino da adolescente. Ele prestou depoimento na 90ª DP (Barra Mansa) e liberado por falta de provas.


O rapaz, também, foi levado ao Hospital Regional, em Volta Redonda, onde foi submetido a exame de corpo de delito, e feita coleta de material para exame de DNA.

No dia 11 de dezembro, o suspeito foi novamente ouvido na Delegacia de Polícia de Barra Mansa e identificado como Maicon Douglas dos Santos Nascimento, o qual foi encontrado em Angra dos Reis. O delegado titular da 90 DP (Barra Mansa), Ronaldo Aparecido de Brito, disse que Maicon voltou a negar que tenha cometido o crime.


·         Exame de DNA.

·         Prisão preventiva

·         Latrocínio


Ainda no dia 11 de dezembro de 2019, a policia civil obteve mandado de prisão preventiva do acusado, porque concluíram que Maicon Douglas dos Santos Nascimento, de 22 anos, matou a estudante Maria Júlia Coutinho, de 16 anos, por estrangulamento.

Como dissemos acima, ele já era suspeito do homicídio, no dia 24 de outubro, porque ela apresentava sinais de violência no pescoço e no rosto, mas faltavam investigações que confirmassem que ele foi o autor do crime. Com a vinda do exame de DNA pode se concluir que ele esteve no local do crime no dia dos fatos, pois a coleta de pele nas unhas da vítima permitiu a identificação do acusado, uma vez que a vítima lutou com o acusado para se defender.

Segundo a Polícia Civil, Maicon matou a adolescente, após invadir a residência da família, no bairro Piteiras, para roubar objetos. Maria Júlia morava com os pais, mas estava sozinha no imóvel quando foi morta. O acusado foi indiciado pelo crime de latrocínio

Na quinta-feira, dia 11/12/2019, Maicon Douglas dos Santos Nascimento, de 22 anosfoi transferido, da cela provisória da 90ª DP (Barra Mansa), para a Cadeia Pública de Volta Redonda (antiga Casa de Custódia), no bairro Roma, onde aguardará o julgamento pelo crime de que é acusado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vamos comentar o artigo. Aguardo contribuições!

Postagem em destaque

STJ declara que salários ou outras formas de remuneração não podem ser penhoradas para pagamento de honorários advocatícios.

  A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que o pagamento de honorários advocatícios não configura prestação alimentí...